www.escoladebicicleta.com.br
capítulo 18. segurança mecânica

   . bicicletaria

   . o barato sai caro

   . sua segurança

   . para um futuro ciclista

   . cuidado!

   » contato

   » início

   » mapa do site

    1. experimentar sem errar
    2. aprender a pedalar
    3. voltando a pedalar
    4. pedalar no trânsito
    5. pedalar melhor
    6. ir mais longe
    7. corpo
    8. saúde
    9. alimentação
  10. vestuário
  11. idosos e a bicicleta
  12. iniciar no esporte
  13. cicloturismo
  14. a história da bicicleta
  15. política e ativismo
  16. a bicicleta
  17. que bicicleta comprar
  18. segurança mecânica
  19. o cliente e a bicicletaria
  20. estacionamento e roubo
  21. equipamentos
  22. mecânica de bicicletas
  23. emergências do ciclista
  24. nossa equipe
  25. nossos serviços
  26. links
  27. livros e referências
  28. política do site
 

 
O que é segurança mecânica?
É, antes de qualquer coisa, a sua segurança, sua integridade. É uma prevenção para incidentes ou acidentes indesejáveis, quando não sérios.

É um erro pensar que acidentes só acontecem por causa de imprudências do condutor. Boa parte é causada por falha mecânica, e não raro, são os piores.

Bicicleta é um veículo com um reduzidíssimo número de peças e componentes. Alcança velocidades relativamente altas. O ciclista está constantemente em equilíbrio. Dai a importância vital de cada detalhe para a segurança do seu condutor.

Segurança mecânica de uma bicicleta é o ato de mantê-la em boas condições de uso. Para isto basta habituar-se a tomar algumas poucas precauções. Caso as suas habilidades mecânicas sejam precárias, há a bicicletaria para ajudá-lo.

Bicicletaria vive de ciclista. Tem o máximo interesse em aumentar o número de ciclistas e melhorar-lhes as vidas. O negócio da bicicletaria é estabelecer e manter a confiança do cliente, fazendo com que ele pedale feliz, despreocupado. Só assim ele volta, e só assim trará outros clientes.

Já no comércio geral o negócio é realizar qualquer venda. Pode até ser uma bicicleta. Pode até indicar uma bicicletaria qualquer para a montagem da bicicleta. Ou pior, um vendedor ou funcionário poderá efetuar uma montagem precária, sem ferramentas próprias, sem o ajuste correto. É um perigo.

É muito importante conhecer mais de uma bicicletaria para estabelecer comparações. Procure qualidade e evite orientar-se apenas pela simpatia.

Por que ir a uma boa bicicletaria?

Uma só resposta já bastaria: Só estabelece uma bicicletaria quem gosta muito de bicicleta. É reconhecidamente um mercado difícil, que não oferece um grande retorno e trata com um público muito específico, que não é muito fácil comercialmente.
Uma boa bicicletaria requer procedimentos no trato com a bicicleta que tornam a administração mais complicada ainda.
Enfim: só trabalha com bicicletaria quem gosta muito de bicicleta!

Vantagens em se comprar uma bicicleta na bicicletaria:

1. a venda é pessoal, individualizada, não para as massas

2. o atendente é especializado

3. oferece a informação correta

4. permite a compra da bicicleta adequada às suas necessidades e ao seu tipo físico

5. oferece mais e melhores opções

6. a bicicleta sai montada, ajustada e testada, como se deve

7. oferece garantia da montagem ou manutenção

8. se você tiver problemas saberá quem é o responsável
 

bicicleta é na bicicletaria

 
As primeiras boas impressões sobre uma bicicletaria:

1. ordem

2. limpeza geral, incluindo a oficina

3. todos os funcionários têm roupas e mãos limpas

4. informação precisa e direta, sem contornos

5. histórico da bicicletaria

6. boa educação e paciência dos atendentes

7. bicicletas expostas em perfeitas condições de uso

8. possibilidade de testar a bicicleta (acompanhado) no caso de compra

9. bicicleta é checada e testada na rua antes de ser entregue

10. não forçam as vendas

A boa bicicletaria:

1. identifica a causa do problema e o resolve

2. não deixa você a pé no meio do caminho por problemas mecânicos

3. assume seus erros e corrige suas falhas

4. não se utiliza do famoso "jeitinho" para manutenção

5. cumpre pontualmente a data de entrega

6. providenciará qualquer peça ou componente que não conste de seu estoque

7. previne o ciclista antes da quebra de um componente, quando identifica um problema

8. utiliza as ferramentas próprias e adequadas

9. utiliza produtos adequados e de boa procedência
 
Bicicletaria séria de fato, permite-se recusar a manutenção de bicicletas sem um padrão de qualidade, e o faz para a segurança do próprio cliente ciclista
 

o barato sai caro

 
Não só a bicicleta e a bicicletaria tem que ter qualidade, a troca de peças e componentes também tem que ser de qualidade. Um simples exemplo? Imagine um cabo de freio estourando no cruzamento de uma avenida.

1. vale a pena economizar 10% em qualidade e segurança?

2. podendo gaste mais 10%, ou até um pouco mais

3. peças muito baratas podem ocasionar juros hospitalares

4. pense bem o que você quer. Ir e voltar? Prazer?

5. qual é o custo/benefício? Quanto dura esta peça? E esta outra?
 

sua segurança

 
Boa parte dos acidentes envolvendo ciclistas é causada por falha mecânica ou falta de manutenção, devido a negligência ou falta de conhecimento do proprietário. Mantenha sempre sua bicicleta em ordem.

Regra Zero: Acostume-se com o que é bom! Dá prazer e não dá trabalho.
Regra sem número: bicicleta sem qualidade é ruim e será sempre ruim. Desapareça com ela! Não tem jeito. Lixo!

Para quem não quer entender de segurança mecânica:

1. quanto melhor a bicicleta, menor a dor de cabeça

2. agende a manutenção periódica

3. bicicleta boa não faz barulho

4. bicicleta boa é solta, gostosa de pedalar

5. bicicleta boa roda em linha reta

6. a bicicleta está estranha? Vá até a bicicletaria

7. aliás, é sempre aconselhável passar de vez em quando na bicicletaria para verificar se está tudo em ordem

Do que não dá para escapar:

1. calibrar os pneus: a pressão recomendada está escrita na lateral do pneu. Evite usar a pressão máxima. Se preferir o pneu bem cheio calibre com 10% a menos da pressão máxima.

2. se o bico da câmara estiver torto e/ou para dentro do aro, vá até a bicicletaria, antes que o aro corte o bico e você fique na rua. Ele tem que estar a 90 graus do aro.

3. lubrificar a corrente quando ela começar a ficar barulhenta, colocando uma gota de óleo em cada elo da corrente. Em seguida, gire o pé de vela para trás lentamente, para não espirrar óleo no aro e fazê-lo penetrar nas partes internas da corrente. Dê preferência para lubrificar a corrente pelo menos 24 horas antes de sair pedalando. Ao girar o pé de vela para trás, cheque se não tem nenhum elo da corrente preso ou travado. Retire o excesso de óleo com um pano limpo, girando o pedal para trás e segurando o pano próximo da roldana inferior do câmbio traseiro.

4. limpar a bicicleta com pano úmido de água ou umedecido com óleo diesel. Evite jatos de água e detergente. Se a bicicleta estiver cheia de areia ou barro, deixe secar e faça uma primeira limpeza com um pincel ou escova para tirar o excesso.
 

para um futuro ciclista

 
Básico:

1. experimente várias bicicletas diferentes

2. leia revistas especializadas, pesquise, compare, forme opinião.

3. aprenda a ouvir e a sentir a bicicleta

4. descubra outras bicicletarias

5. acredite: o que é bom funciona. Simples!

6. não adianta colocar uma boa peça num conjunto ou sistema ruim ou precário

7. se está estranho, está errado!

8. não gaste dinheiro no que não vale a pena

9. é muito grande a diferença que faz uma roda boa, leve e alinhada

10. uma bicicleta nunca ficará igual àquela que custa muito mais

Checagem mínima da bicicleta:

1. calibragem dos pneus

2. gire as rodas: elas devem estar livres

3. olhe entre a sapata do freio e o aro, para ver se a roda que está girando está alinhada e centrada.

4. com o freio acionado, as sapatas de freio devem estar alinhadas e em paralelo com o aro

5. acione com força os manetes de freio - o sistema de freio não pode ceder.

6. montado na bicicleta, acione somente o freio dianteiro e force a bicicleta movimentando-a para frente e para trás - não pode haver nenhuma folga ou barulho no sistema de direção ou nos freios.

7. dê uns tapas de lado e por cima da ponta do selim: não pode mexer

8. no caso de bicicletas sem marchas, a corrente deve estar corretamente esticada: oscilação máxima medida no ponto central, entre o eixo traseiro e o pé de vela, de 1 cm.

9. dê uma pequena pedalada e faça um teste final. Achou estranho? Vá até a bicicletaria.

Para uma checagem mais apurada:

1. calibragem dos pneus

2. pneus bem alinhados no aro: basta rodar e olhar de cima e de lado

3. aros centrados: gire a roda e olhe por cima e pelo lado

4. os raios têm que ter a mesma tensão. Se houver algum muito frouxo vá para a bicicletaria

5. chacoalhe a bicicleta: só pode haver barulho da corrente

6. mexa em tudo que tem rolamento: não pode haver folgas

7. fixe a roda dianteira entre as pernas e tente girar o guidão. O guidão não pode se mover em relação a roda

8. pedais sem rachaduras e folgas

9. cheque o aperto das blocagens (ou porcas) das rodas e selim

10. puxe o elo da corrente que está no meio da maior coroa do pé de vela e certifique-se que a folga - o buraco - entre a corrente e a coroa não seja superior a uns 3 milímetros. Caso a folga seja maior, troque a corrente.

Dica: lubrifique a corrente com um dia de antecedência do uso da bicicleta. Use, de preferência, óleo próprio para correntes. Deixe secar um ou mais dias e mesmo assim limpe o excesso com um pano.
 

cuidado!

 
A frente da bicicleta - garfo, roda, caixa de direção, quadro, sistema de freio, avanço, guidão - têm que estar em perfeita condição de uso. A experiência mostra que um acidente causado por falha de qualquer parte, peça ou componente da dianteira da bicicleta costuma ser grave, com sérias conseqüências para o ciclista.

Seja sábio: mantenha sua bicicleta em perfeitas condições, e continue inteiro.
Os problemas descritos abaixo costumam causar acidentes sérios:

1. guidão ou garfo entortou? Troque imediatamente e faça checar o quadro. Vá direto para a bicicletaria.

2. as marchas não engatam bem? O sistema pode estar desregulado ou a gancheira que suporta o cambio traseiro pode estar desalinhada

3. o sistema de transmissão não pode chegar ao limite do desgaste. Na bicicletaria há uma ferramenta para medir a corrente

4. nunca utilize a bicicleta caso o seu sistema de freios tenha problemas

5. a caixa de direção tem que girar livre, suave e sem barulhos

6. a frente da bicicleta não pode vibrar ou apresentar reações estranhas.

7. acostume-se a sentir qualquer diferença no comportamento normal da bicicleta.

8. verifique periodicamente o desgaste do aro na região de contato com as sapatas de freio. Quanto mais côncavo, mais gasto.

9. dúvidas? Escreva para a Escola de Bicicleta

Não use WD 40 ou similares - não são óleos lubrificantes.
Há lubrificantes específicos para a bicicleta e corrente, e para cada tipo de uso.

 

capítulo 19: o cliente e a bicicletaria »
Escola de Bicicleta - Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo desta página sem prévia autorização. Política do Site »