www.escoladebicicleta.com.br
1. A mecânica de bicicletas como negócio
 

     » contato

     » página de entrada

 
Trabalhar com mecânica de bicicletas pode chegar a ser um meio de sobrevivência. Normalmente não é um negócio onde se ganhe muito dinheiro. A grande maioria dos proprietários de bicicleta é gente de renda baixa ou então não quer gastar dinheiro com suas bicicletas. É praticamente impossível cobrar um preço/hora adequado ao trabalho que de fato demanda o conserto de uma bicicleta.
A bicicleta é um veículo aparentemente simples e o consumidor a vê como muito simples. Esta sutil distorção faz toda diferença na hora de cobrar pelo serviço. Para o cliente, por que algo que parece muito simples pode tomar tanto tempo de trabalho?

A questão sobre trabalhar mecânica e ganhar melhor é conseguir agregar valor ao que você consertou (ao resultado final de seu trabalho). Fazer bem feito, não ter retorno e cair no "diz que diz" que você é bom, tendo boas referências é sempre o melhor caminho. Não tem jeito: o que tem boa qualidade mais cedo ou mais tarde se sobressai.
 

Qualidade da bicicleta e público alvo

 
Antes de qualquer coisa é necessário entender o que é uma bicicleta, o que muitos dizem que entendem, mas só uns poucos sabem de fato do que se trata.
Há uma regra que vale para tudo, incluindo bicicleta: quanto melhor for a qualidade menos problemas, desgaste ou quebra. Parece óbvio, mas também parece que a imensa maioria esquece este "detalhe". Esta regra é importantíssima para quem quer fazer mecânica porque há uma relação íntima entre qualidade, tempo de trabalho, giro de capital e lucro. Mais importante do que definir com que público você irá trabalhar é crucial definir com que qualidade de bicicleta você irá lidar. É a definição que pode fazer crescer ou "quebrar" o negócio.

Bicicletas muito baratas geram muito conserto e giro de peças, o que pode parecer bom para uma oficina, mas a maioria dos usuários da bicicleta têm dinheiro contado, o que significa não poder cobrar muito e pouco lucro. Outra questão é que com bicicletas muito baratas é praticamente impossível conseguir um padrão mínimo de qualidade, o que afeta a confiabilidade do cliente no serviço do mecânico e na credibilidade da bicicletaria. Em bicicleta barata se dá um jeitinho... E não raro um conserto que seria simples acaba se transformando num drama, numa preciosa perda de tempo.

Pelo outro lado, quanto melhor for a qualidade da bicicleta mais simples e rápido é fazer sua manutenção, o que é bom para o mecânico. A contrapartida é que bicicletas que têm qualidade quebram pouco. A vantagem é que seu proprietário geralmente tem menos problema em gastar.

Há uma comparação simples: montar e alinhar um pneu de baixa qualidade pode levar uns 10 minutos, ou mais, dependendo de quão barato for o pneu. Já num pneu de boa qualidade a operação não demora mais que 3 minutos, se tanto. O pneu de baixa qualidade aceita pouca pressão o que o faz rodar mais pesado, além de furar com mais freqüência. Um pneu bom, para alta calibragem, roda fácil, fura pouco e dura mais. A diferença de qualidade entre os dois pneus influenciará no tempo de trabalho e a futura reposição, mas também mudará o humor e a vontade do ciclista em investir na bicicleta.

Para o mecânico profissional é importante buscar o ponto de equilíbrio de seu negócio. Ele tem que saber que tipo de bicicleta há na área da oficina, qual o tipo de serviço que dará mais lucro e qual é o público alvo que pretende atingir ou formar. Da mesma forma que há quem prefira trabalhar com bicicletas ruins e ter alta rotatividade de pequenos e baratos consertos, há quem simplesmente se recuse a receber este tipo de bicicleta em sua oficina. A questão toda é buscar o ponto de equilíbrio.
O que se pode dizer é que a cada dia mais bicicletarias estão partindo para trabalhar com melhor qualidade.
 

Satisfação do cliente

 
Satisfação do cliente ou a devolução do dinheiro dele ou a sua satisfação ou sua irritação sem fim.

Sabedoria:
Para o proprietário da bicicleta: A vida é muito boa para usar uma bicicleta que dê problemas.
Para o mecânico: A vida é muito boa para ficar consertando o que não tem conserto.

O que todo ciclista quer:

  • quer ter a certeza que vai e volta sem ficar no meio do caminho
  • quer usar a bicicleta e sempre ter as mãos limpas
  • quer sentir prazer em pedalar uma bicicleta bem ajustada, confortável, que rode fácil e macio
  • quer uma bicicleta que transmita segurança.

    Todas as pesquisas, em todas as partes do mundo, apontam como a principal causa para o abandono do uso da bicicleta a falha mecânica ou a má qualidade no seu rodar, na falta de segurança e conforto.
    Enfim, qualquer um quer a melhor qualidade, daquele que tem o dinheiro contado ao que gasta sem pensar. Portanto todos querem que o serviço prestado seja bem feito.

    Cliente satisfeito sempre volta
    A idéia de fazer mecânica é consertar, é colocar em bom funcionamento, e sem dúvidas cativar o cliente. Talvez cativar seja o ponto mais importante do negócio.

    Causas comuns que provocam graves acidentes envolvendo ciclistas, inclusive mortes
    Por ordem de perigo:
    1. falhar o sistema de freio
    2. quebrar o garfo, guidão ou avanço
    3. escapar a corrente
    4. quebrar o pedal
    5. quebrar a roda
    6. soltar selim
    7. fechar a roda porque foi mal montada e ou mal centrada

    Não há números oficiais, mas quem trabalha no dia a dia do trânsito estima que por volta de 35% dos acidentes fatais são causados por falha mecânica da bicicleta.
     

  • A venda do trabalho

     
    Somos seres sociais e isto faz com que a vida seja estabelecida em cima de uma relação de trocas, ou seja, entregar e receber, comprar e vender esforço. Quanto mais bem feita for esta troca maior a satisfação e melhor a qualidade, tanto do produto como de vida de quem participou da troca.

    Fazer mecânica de qualidade tem uma relação muito forte com saber vender o trabalho. A forma como o trabalho é recebido é a melhor medida para dimensionar sua qualidade como mecânico e como gente.

    Mecânicos prestam serviço
    Qualidade e objetivos do trabalho de um bom mecânico:

  • limpeza
  • precisão
  • durabilidade
  • confiabilidade
  • respeito ao cliente
  • fazer o cliente retornar para fazer compras ou pedir conselhos (e não para reclamar)

    Mecânica e a segurança do ciclista
    Quando fizer mecânica tenha em mente que a segurança do ciclista sempre depende do bom funcionamento da bicicleta e seus acessórios.
    A lei garante direitos ao cliente. No caso de insatisfação, incidente ou acidente causado por falha do serviço prestado há possibilidade do mecânico ser acionado legalmente.

    É por isto que vale a pena pensar seriamente qual o nível mínimo de qualidade de bicicleta e componentes que se vai trabalhar. E também é por isto que cada vez mais bicicletarias se recusam a receber bicicletas de baixa qualidade. Mesmo que não dê problemas com a justiça não vale a pena como negócio trabalhar com baixa qualidade: a possibilidade de sair no prejuízo é grande.

    Passos - do receber ao entregar
    1. receber a bicicleta
    2. ouvir o cliente
    3. tentar entender / entender o problema
    4. observar - olhar - ouvir a bicicleta
    5. testar a bicicleta
    6. colocar a bicicleta em ambiente próprio de trabalho
    7. preparar o ambiente para a operação
    8. separar as ferramentas, peças e material de limpeza
    9. limpar a área a ser trabalhada
    10. efetuar a operação
    11. checar o resultado ainda no local de operação
    12. testar o resultado pedalando a bicicleta
    13. revisar caso necessário
    14. guardar o que estava estragado para entregar ao dono
    15. ver se há algo que ainda deve ser realizado fora do pedido ou previsto
    16. entregar o serviço prestado

    É interessante que sempre tenha alguém com facilidade de lidar com o cliente que não seja o mecânico.

    Cortesia
    Manutenção básica, ou preventiva, é feita através de ações simples.
    A cordialidade de fazer uma rápida delicadeza de olhar a bicicleta sempre traz resultados positivos.

    Cinco pontos são básicos e fáceis de resolver:
    1. calibrar os pneus corretamente
    2. olhar a lubrificação da corrente
    3. ver se os freios funcionam perfeitamente
    4. ver o alinhamento dos aros
    5. procurar por folgas ou eixos muito apertados

    Mesmo a cordialidade deve ter limites. Sempre haverá aquele cliente que se aproveita da boa vontade do próximo. Seja cordial, mas evite ser o "salvador do mundo".
     

  • 2. Planejamento »
    Escola de Bicicleta - Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo desta página sem prévia autorização. Política do Site »